Em continuidade aos esforços realizados para introduzir novas fontes de geração na matriz elétrica brasileira, a GE Power e a CS Bioenergia (uma joint-venture formada da parceria entre Cattalini Bioenergia e a empresa de saneamento Sanepar) anunciam a assinatura de contrato para projeto de geração de energia a partir da decomposição do lodo e da matéria orgânica depositada em estação de tratamento de esgoto. Localizada no Paraná, a usina geradora será equipada com dois motores Jenbacher JCM 420 fornecidos pela GE. Juntos, os equipamentos produzirão 5,8 megawatts (MW) de energia.

As máquinas fornecidas utilizarão o biogás proveniente da biodigestão do lodo e da matéria orgânica depositada na CS Bioenergia para geração de energia limpa e sustentável. Operados em cogeração, os motores Jenbacher produzirão 3.0 MW de energia térmica e 2.8 MW de energia elétrica. Do total de energia elétrica produzida, 0.5 MW será consumida pela própria usina de biogás para manter sua operação e os outros 2.3 MW serão disponibilizados à rede de distribuição.

“O total de energia gerada é suficiente para abastecer cerca de 8.400 pessoas ou 2.100 unidades consumidoras no entorno da unidade de tratamento”, explica Rickard Schäfer, líder de vendas da divisão de Distributed Power da GE Power para o Brasil.

Os motores Jenbacher instalados compõem a plataforma de soluções Ecomagination da GE, que foca no desenvolvimento de inovações que melhoram o desempenho operacional de nossos clientes ao mesmo tempo que reduzem seu impacto ambiental, com atenção especial à intensidade hídrica, energética e de emissões carbônicas de seus processos. A GE entende sua contribuição para os desafios da energia e das mudanças do clima pelo desenvolvimento de soluções que ajudam o Brasil a diversificar sua matriz elétrica a partir da incorporação e do aumento das fontes renováveis, assim como pela melhoria da eficiência energética na geração, transmissão e distribuição da energia.

“Gerar energia a partir do tratamento do esgoto e de resíduos orgânicos é um modo inteligente e sustentável de reciclar o que é produzido pela atividade humana. Se não seguirmos este caminho, estaremos ‘enterrando energia’ em aterros sanitários e desperdiçando uma fonte de geração limpa, renovável e com enorme potencial para ajudar a diversificar a matriz elétrica brasileira”, comenta Luciano Fedalto, diretor Técnico da CS Bioenergia.

No Brasil, grande parte das estações de tratamento de esgoto em operação direciona o lodo proveniente do processo para aterros sanitários, local destinado à deposição final de resíduos sólidos gerados pela atividade humana. Nos aterros, o material coletado é queimado na atmosfera ou então transformado em chorume, líquido altamente poluente e que, por essa característica, exige nova etapa de tratamento a fim de reduzir os impactos de seu descarte ao meio ambiente.

Atualmente, alguns aterros em operação já transformam o biogás gerado em energia, porém as iniciativas ainda são incipientes no Brasil, tendo a tecnologia de biogás utilizada na CS Bioenergia potencial para substituí-las com maior eficiência. Também com tecnologias de ponta, a GE é fornecedora de motores Jenbacher para aplicação em aterros. Atualmente, os equipamentos estão em operação em aterros localizados em Ribeirão Preto (SP), Minas Gerais, Salvador (BA) e Minas do Leão (RS).

Entenda a operação da CS Bioenergia na ETE Belém.

Atualmente, a ETE Belém trata 840 litros de esgoto por segundo coletado a partir de tubulações subterrâneas instaladas na cidade de Curitiba. Parte da água resultante do tratamento é devolvida à natureza, sendo que o restante é reutilizada pela própria usina de biogás em processos que requerem água tratada, porém sem exigência de potabilidade.

A partir da adaptação da unidade para geração de energia, o lodo proveniente do tratamento do esgoto será direcionado para um tanque de armazenamento, onde se juntará a outros materiais orgânicos coletados pela CS Bioenergia em restaurantes, shopping centers, supermercados e centro de abastecimento (Ceasa). Juntos, os materiais serão enviados para quatro biodigestores anaeróbicos, responsáveis por processarem a matéria orgânica e transformarem parte dela em biogás.

O biogás produzido nos biodigestores será então direcionado para os motores Jenbacher, que terão capacidade diária de transformar 20.000 m³ do combustível em energia. O restante da matéria será transformada em biofertilizantes utilizados em produções agrícolas, encerrando o ciclo produtivo da ETE Belém e garantindo uma operação sustentável e alinhada às novas preocupações sobre disposição de matérias orgânicas e preservação do meio ambiente.

Confira a seguir vídeo de como será a operação da CS Bioenergia na ETE Belém:

Fonte: revistatae.com.br